domingo, 14 de novembro de 2010

"O TEMPO E O VENTO", ERICO VERISSIMO

Bom, como diz no meu perfil do blog, um dos meus livros favoritos é "O Continente", do fabuloso autor Erico Verissimo. "O Continente" faz parte da trilogia "O Tempo e o Vento", que Erico Verissimo escreveu entre os anos de 1949 a 1962. "O Continente" é um livro sobre a formação histórica gaúcha através da passagem cíclica do tempo, sendo, seguramente, o mais importante romance histórico já escrito no Brasil.
A concepção da trilogia é bem resumida pelo professor Sergius Gonzaga, grande estudante da literatura brasileira: "através dos dramas individuais localizados na sucessão de várias gerações das famílias Terra e Cambará - que se entrelaçam duas vezes - Erico Verissimo realiza uma investigação da história rio-grandense, conotando os destinos de seus personagens com os momentos decisivos da formação da província sulina."
"O Continente", primeira obra da maravilhosa trilogia, tem a maior parte da duração da trilogia - 150 anos, de 1745 a 1895. Já os outros dois livros juntos ("O Retrato" - segundo livro e "O Arquipélago" - último livro) somam apenas 50 anos, tendo término em 1945. O romance abrange, consequentemente, dois séculos inteiros.
Novamente conforme Sergius Gonzaga, "Se "O Continente" traça a origem da sociedade rio-grandense, sob o controle de uma elite audaciosa e guerreira (e também machista e sanguinária) - forjada em lutas fronteiriças e revoluções fratricidas - a partir de fins do século XVIII e durante todo o século XIX; "O Retrato" - já centralizado nas primeiras décadas do século XX - registra o momento em que os velhos oligarcas são substituídos por caudilhos ilustrados, a exemplo do Dr. Rodrigo Cambará; por fim, "O Arquipélago" mostra não apenas a derrocada da família dirigente e a decadência política dos estancieiros gaúchos, como também a emergência vitoriosa dos novos grupos sociais, especialmente o dos alemães e dos italianos."
Além de todos esses aspectos históricos sobre a sociedade gaúcha ao longo dessas duas décadas, representadas pelas famílias Terra e Cambará, há outros aspectos a serem ressaltados sobre a trilogia de Erico Verissimo. Um deles é que essas obras, que compõem a trilogia, não são meros romances históricos brasileiros como também possuem uma busca sutil pelo significado da existência. O nome da trilogia sugere significados para as duas forças antagônicas: O Tempo - passagem, corrosão, destruição, morte - representando os HOMENS na corrosão das suas existências e O Vento - repetição, continuidade, permanência - representando as MULHERES no estrural instinto da vida, na resistência, no enfrentamento da falta de sentido do tempo e o grande vazio do nada, na espera pelos homens que podem nunca voltar de suas guerras.
Todos esses aspectos fazem dessa trilogia uma das mais interessantes já criadas pelos grandes escritores brasileiros. E o melhor de tudo é que a leitura não é cansativa e sim, divertida!
A trilogia já foi adaptada para uma minissérie global, com um elenco muito competente, trazendo como principais personagens os atores Tarcísio Meira e Glória Pires.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário